sábado, 8 de março de 2008

.Doi como fome.

Eu achava que as coisas estavam se normalizando. Voltei as consultas com a nutricionista semanalmente, tenho ido a terapia direitinho, so nao começei o psiquiatra, mas isso nao é la o mais importante.

Quando eu realmente consigo " me estabilizar ", ja nao tinha compulsoes e nem miava a mais ou menos 1 mes, tudo volta a tona. Tenho estado ansiosa, "trabalhar" coisas na terapia, que me incomodam, "descobri/dar o nome dos monstros" que me assombram, como diz a terapeuta, causa um alivio, mas com isso vem uma inquietação e ansiedade incontrolavel. Tive constantes crises de choro, sentia uma dor tao grande, dor fisica e emocional. Isso tudo me causou, duas compulsoes, miei sim, uma vez, mas foi o suficiente pra de alguma forma piorar minha situaçao, decepcionei-me comigo mesmo por isso, ja nao miava a quase um mes, porem desta vez nao contive, o vazio era grande ao ponto de tentar tampar com a comida, mas a dor era tao grande quanto, a tentar expulsa-las (a comida e a dor).De nada adiantou, a dor aumentou.

Eu tenho tido sentimentos diferentes, ciumes, insegurança constante, fobia. Tenho me sentido demasiado egoista.

deseja

Na segunda, passei extremamente mal no cursinho, nao me aguentava em pé, me controlava pra nao chorar. Minha mae foi me buscar. Eu me alimentava, apesar da falta de apetite, me esforçava ao maximo a comer. Passei o resto do dia na cama. Na terça, acordei pior, o corpo doia, tremia, chorava. Fui ao medico, mas sem algum diagnostico, nao havia febre nem outro sintoma de alguma gripe ou algo que seja. De alguma forma, eu sabia que a causa daquilo nao era de virus ou bacteria, mas sim algo emocional. Meu pai nao me permitiu ir ao cursinho, por estar demasiado fraca, na quarta tive que brigar pra ir, apesar de ainda estar mal, mas ficar em casa so, nao ajudava muito.

Ainda me doi o corpo, a alma.

Tento aos poucos estabelecer algum equilibrio.

Eu sei que ja nao sou a mesma de alguns meses e anos, como minha psicologa disse, eu tenho estado mais perceptiva. Tenho observado minuciosamente minhas atitudes, apesar de por incrivel que pareça nao conseguir muda-las nem evita-las.É algo meio estranho eu sei, mas é assim que estou.

Sei que a jornada, pra me "curar" do T.A, nao é apenas me aceitar, nem fazer reeducação alimetar, e ate mesmo de nao miar e nem ter mais compulçoes. Porque nada disso vai ser possivel, se eu nao cuidar daquilo que ''causa'' isso, as dores emocionais, se nao cuidar dos ferimentos. Eu sei que cada vez que eu mexer mas em tudo, a dor vai aumentar. As duvidar vao aumentar tambem. Mas isso tudo é preciso. Faço isso por mim.

"Doi como fome, como falta do que respirar." Ludov- é so saudade

Beijos meninas, e se cuidem!

P.S.: um Feliz dia da mulher pra todas!

3 comentários:

Marcy! disse...

Amigaaaaa
Poxa, eu entendo esse lance da terapia, revira as coisas, que às vezes parecem estar escondidas, calmas... Na minha última consulta, saí do consultório pior do que cheguei, mas faz parte, acho que isso talvez, nos ajude a superar, ou ao menos conviver, com os monstros que nos assombram.

Guria, já assisti um pedaço do filme Sissi, minha mãe que adora ele, já assistiu várias vezes.
Eu não ando com muita sorte nos filmes que assisto. A Tange me indicou um "A pele", eu li a sinopse e super me intessei já, vou ter que catar.

Queria te fazer uma pergunta indiscreta, se tu quiser, responde, se não quiser, não tem problema... quanto tu pesa?

Espero que tu não caia mais de doente, to te mandando energias boas sempre, e sempre lembrando de ti na hora de estudar;)
Beijoss

Quando eu assistir um filme bom, te passo!

Menina disse...

Por vezes parece que temos todas uma unica alma.

Bjos linda e qualquer coisa estou aqui.

P.S: As vezes é preciso sermos egoistas...

MaH disse...

"Todas nos somos iguais...temos os mesmos medos e doress..."
Isso prova como a anna é unica para todas!!

Fike bemmmmmmmm!!!!!

bjos!♥